«Portal da Queixa»
Como vai a satisfação dos munícipes em Portugal

Com as eleições autárquicas à porta, o «Portal da Queixa» – a maior rede social de consumidores no país – decidiu analisar as reclamações recebidas dirigidas às câmaras municipais do país. Entre janeiro e setembro de 2017, a plataforma recebeu um total de 758 reclamações, o que revela um aumento de 110% das queixas face ao período homólogo.

Por Mário Andrade

 

Propondo-se obter um barómetro sobre o índice de satisfação dos munícipes dos concelhos alvo de reclamação, e com vista a estabelecer uma correlação com os executivos camarários eleitos (mandatos atuais), o «Portal da Queixa» desenvolveu em parceria com a Social Data Lab um estudo sobre as reclamações registadas, entre setembro de 2013 e setembro de 2017, dirigidas às autarquias, elegendo como variável o número de reclamações per capita (número de reclamações por 100 mil habitantes).

O estudo permitiu concluir que as reclamações não se distribuem de forma uniformemente pelo território português: Lisboa (204), Porto (129) e Sintra (126) são os três concelhos que lideram o ranking das autarquias com mais reclamações. A fechar o top 20 estão os municípios onde os cidadãos menos reclamam: Braga (27), Odivelas e Setúbal (ambos com 24) e Sesimbra e Portimão (ambos com 22).

O estudo permitiu constatar que:

– as reclamações efetuadas entre 2013 e 2017 aumentam em função do grau de urbanização e do poder de compra do concelho, tal como em função do nível de instrução dos seus habitantes; ou seja, aumentam em função do grau de desenvolvimento das populações;

– as reclamações diminuem nos concelhos onde a percentagem de população sem o ensino secundário é maior; ou seja, diminuem nos concelhos onde há menos instrução;

– as reclamações aumentam nos concelhos onde há mais população residente; mais natalidade (mais frequente nas zonas mais urbanas); o poder de compra é maior; a densidade populacional é maior (zonas mais urbanizadas); a população empregada no sector terciário é maior;

– a média obtida é de 16 reclamações por 100 mil habitantes;

– apenas as grandes regiões metropolitanas, Lisboa e Porto, excedem esse valor médio;

– o Alentejo central, Coimbra e o Algarve surgem em segundo plano, sendo as únicas regiões com valores superiores a 10 reclamações por 100 mil habitantes

Este resultado conduz à ideia de existir uma correlação positiva entre o grau de urbanização e a variável em estudo, sendo as zonas mais urbanizadas do país aquelas que apresentam uma incidência de reclamações per capita superior.

O estudo científico elaborado pela Social Data Lab (ao cruzar as reclamações com a caracterização sócio-demográfica dos próprios concelhos analisados) evidenciou ainda que a reclamação no portal realça, de forma muito clara, uma atitude moderna, de maturidade civilizacional e de consciência cívica, atestando o impacto social da plataforma no seio da sociedade portuguesa.

Centro de preferências de privacidade

Necessários

PHPSESSID, __gads, _ga, _gid, gdpr[allowed_cookies], gdpr[consent_types]

Anúncios

IDE

Analytics

Other