No Coliseu Porto Ageas
Cerca de 160 espetáculos em 2024

Uma programação que celebra os 50 anos do 25 de abril, óperas emblemáticas e contemporâneas e muita música estão entre os destaques da programação do Coliseu Porto Ageas. Até dezembro, esperam-se cerca de 160 espetáculos, entre concertos, bailados, teatro, ópera, dança, comédia, espetáculos infanto juvenis e o identitário Circo.

Texto: Redação «human» Foto: DR

.

A programação própria do Coliseu Porto Ageas vai focar-se nas produções nacionais líricas, nas parcerias com os festivais da cidade (cinema, dança, circo e teatro) e em datas incontornáveis como os 500 anos do nascimento de Luís de Camões e os 50 anos do 25 de abril. A sala que recebeu Humberto Delgado em 1958, vários comícios de oposição à ditadura e ainda o último concerto da carreira de Zeca Afonso associa-se às celebrações da Revolução dos Cravos com várias iniciativas ao longo do ano.

Um dos destaques vai para a evocação dos 40 anos do último concerto da carreira de Zeca Afonso. No dia 25 de maio de 1983, José Afonso subiu pela última vez a um palco, no Coliseu do Porto, rodeado de muitos amigos. A seu pedido, todos os bilhetes tinham o preço único de 500 escudos, o equivalente a 2,50 euros, e esgotaram muito antes, tal era a vontade de homenagear o autor de «Grândola, Vila Morena». Em parceria com a Associação José Afonso, o Coliseu apresenta, no dia 29 de junho, um concerto evocativo da obra de um dos nomes maiores da música portuguesa, no ano em que se celebram 50 anos desde que «Grândola, Vila Morena» passou na Rádio Renascença, confirmando a Revolução.

Já nos dias 23 e 24 de março, o palco do Coliseu recebe outro nome fundamental, trazido pelo promotor Vachier e Associados: Sérgio Godinho, acompanhado pelos Assessores, apresenta o concerto «Liberdade25», numa nova visita ao seu repertório mais politicamente engajado, de onde sobressai a canção «Liberdade», composta para o álbum «À Queima Roupa», de 1974. 

Ainda no primeiro trimestre, o Coliseu vai lançar um novo programa de visitas guiadas, possibilitando aos visitantes conhecer recantos não acessíveis ao público, recuperando memórias e histórias de mais de 80 anos de vivências no interior deste monumento de interesse público. Dos camarins dos artistas até à misteriosa Adega, os percursos enaltecem a importância do património material e imaterial deste histórico teatro com sede de futuro.

Toda a programação aqui.