Médis reforça proteção oncológica dos clientes

Atenta às preocupações dos portugueses, e como resposta, a Médis passou a incluir nas opções 2 e 3 do seu seguro uma proteção oncológica reforçada. Este reforço é uma resposta direta à dimensão que a doença oncológica tem na população portuguesa e mais um passo da seguradora na concretização do compromisso de «ser o serviço pessoal de saúde dos portugueses».

A proteção oncológica reforçada, disponível nas opções com mais adesão do seguro Médis (opção 2 e 3) aumenta a proteção dos clientes com diagnóstico oncológico através de:  Duplicação dos capitais de hospitalização e ambulatório. No caso da opção 3 os capitais tornam-se ilimitados:

– cobertura de próteses e ortóteses para oncologia e serviços de assistência, como transporte para tratamentos e consultas, enfermagem ao domicílio, apoio psicológico, entre outros;

– reforço da linha Médis, para disponibilizar ajuda para esclarecimentos, gerir todas as necessidades e acompanhar de forma direta e pessoal os doentes oncológicos;

– reforço da literacia de saúde e prevenção, através da disponibilização de manuais clínicos sobre o cancro e um plano pessoal de rastreio.

A ativação da proteção oncológica reforçada não tem custos associados para o cliente e pode ser iniciada a partir da data de diagnóstico1.

Eduardo Consiglieri Pedroso, o chief executive officer (CEO) da Médis, assinalou: «A nossa atenção e a dedicação especial a esta doença não são de hoje. Sempre procurámos sensibilizar e alertar para o cancro, através de projetos editoriais e desportivos, como a ‘Corrida Sempre Mulher’, e com parcerias na oferta de cuidados de saúde em Portugal e em centros de referência no estrangeiro. Estas parcerias permitiram-nos sensibilizar a população, para a importância da prevenção, do rastreio e da deteção precoce da doença. Mas como serviço pessoal de saúde dos portugueses tínhamos de ir mais longe, tanto na proteção como no tratamento. A incidência da doença tem aumentado e é urgente continuar a apostar no rastreio, na prevenção e no reforço da proteção. Foi exatamente o que fizemos, e isso é ser verdadeiramente um serviço pessoal de saúde.»

De referir que em 2018 surgiram 18 milhões de novos casos de cancro em todo o mundo, cerca de 60 mil só em Portugal. Nas próximas duas décadas, assinala a Médis, é esperado um aumento de cerca de 60% a nível mundial na incidência do cancro, que por isso mesmo cada vez mais vai fazer parte das nossas vidas. É neste contexto que surge a proteção oncológica reforçada Médis.