Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

   
 
 
         
 
 





 
  Notícias
 
ANOS ANTERIORES - 2010 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT - NOV - DEZ - 2011 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT - NOV - DEZ - 2012 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT - NOV - DEZ - 2013 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT - NOV - DEZ - 2014 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL


Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


 

SEDES distingue Páginas Amarelas e SAP Portugal

O primeiro evento do ciclo de conferências «Excelência SEDES 2012», organizado pelo Grupo de Trabalho de Capital Humano (GTCH) da SEDES – Associação para o Desenvolvimento Económico e Social, realizou-se na passada quinta-feira, dia 13, no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG). Foram conhecidas as duas empresas distinguidas na categoria «Acolhimento e Integração», a Páginas Amarelas e a SAP Portugal, apresentadas como exemplos na gestão integrada de pessoas. O evento contou com o patrocínio da multinacional de recursos humanos Kelly Services.
Carlos Sezões, coordenador do GTCH, interveio durante o evento, tendo agradecido aos envolvidos neste ciclo de conferências e aos convidados presentes, entre os quais se encontravam Henrique Neto, que interveio em nome do Conselho Coordenador da SEDES, e Manuel Beja, diretor de recursos humanos da Novabase. Henrique Neto referiu que, «apesar de o tema recursos humanos ser, desde o início, um pouco maltratado, uma vez que a gestão das pessoas é feita com base na urgência e não na exigência, a capacidade de anteciparmos a mudança e de contrariarmos a falta de previsibilidade nos processos de trabalho é muito importante». Para o histórico empresário, «são ações como esta que nos fazem projetar o tema para os próximos cinco ou 10 anos». Já Manuel Beja assinalou que «os recursos humanos possuem um controlo relativo do acolhimento e da integração das pessoas nas estruturas, pois existe sempre alguma desconexão entre a chamada linha oficial e a diversidade do que acontece no terreno». Mas referiu não ter dúvidas sobre a necessidade de todo o processo dever ser «encarado por quem entra como um ‘buffer’ seguro, que permita estabelecer pontes e gerir expectativas».
Helena Santos, diretora de recursos humanos da AXA Seguros e membro do Conselho Consultivo da iniciativa – em sede do qual foram feitas as escolhas entre as empresas candidatas –, moderou um debate lançado entre as representantes das duas empresas distinguidas e o público, o que que permitiu aprofundar as mais-valias e os desafios impostos pelas práticas apresentadas como vencedoras.
Pela Páginas Amarelas interveio Susana Nunes, ‘employees engagement, hiring and internal communication leader’, que referiu: «O objetivo do programa de acolhimento e integração das Páginas Amarelas, designado ‘Be’, é fazer as pessoas sentirem-se especiais na empresa desde o primeiro momento, quando se apresentam para entrevista, objetivo que se mantém já com a pessoa recrutada. Entre outras práticas, destaco a figura do tutor social e a nossa rede interna com funcionamento semelhante ao ‘Facebook’ – o que permite um acompanhamento pessoal e um acesso fácil a qualquer colega da estrutura e facilita a resolução de grande parte das questões iniciais.» A responsável mostrou mesmo um exemplar do ‘kit’ de acolhimento oferecido a cada novo colaborador da empresa.
Pela SAP Portugal interveio Rita Xavier, ‘senior local HRBP Iberia’, que partilhou dois depoimentos em vídeo de colaboradores em estádios diferentes no ciclo de crescimento interno da empresa. Destacando «a responsabilidade de olhar continuamente para dentro e melhorar ainda mais, no caso de uma multinacional matricial, como é a SAP, que vê nas pessoas o seu melhor ativo», referiu: «Acreditamos ser importante que quem entra não se sinta o ‘new kid on the block’, e nesse sentido, com o apoio da chefia e de um ‘buddy’ previamente definido, criamos oportunidades de ‘networking’ e de aderência aos nossos valores desde o início».
O encerramento da sessão foi feito com a atribuição do Diploma de Mérito a cada uma das empresas distinguidas, documento que atesta a avaliação de excelência do Conselho Consultivo da iniciativa. Este conselho, liderado por João Carvalho das Neves, presidente do Conselho Diretivo da Administração Central do Sistema de Saúde e professor catedrático do ISEG, integra ainda, além de Helena Santos, Amândio da Fonseca, administrador executivo do Grupo Egor, António Manuel Venda, diretor da revista «human», Augusto Lobato Neves, sócio-gerente da Editora RH, José Bancaleiro, ‘managing partner’ da Stanton Chase International – Portugal, Mário Ceitil, diretor associado da CEGOC e ‘managing director’ da FranklinCovey Portugal, Paulo Pereira da Silva, presidente do Conselho de Administração da Renova, e Ricardo Florêncio, diretor da revista «HR Portugal».
O ciclo de conferências tem continuação já no próximo dia 10 de janeiro, com o anúncio e o reconhecimento das duas empresas vencedoras na categoria «Desenvolvimento de Competências».
‘Site’ da iniciativa aqui.

A SEDES – Associação para o Desenvolvimento Económico e Social é uma das mais antigas associações cívicas portuguesas. Constituída em 1970, os seus fundadores eram oriundos de diferentes formações académicas, estratos sociais, atividades profissionais e opções políticas. Unia-os uma grande vontade de mudança e uma prática de militância social diversificada: associativismo académico, prática de contestação política contra o sistema, participação em organizações cristãs e atividade sindical. Um denominador comum animava os fundadores da SEDES: humanismo, desenvolvimento sócio-cultural e democracia. A associação realizou encontros, estruturou-se em grupos de trabalho, animou debates em diversos pontos de Portugal, foi a primeira a proclamar as vantagens de uma aproximação à então denominada Comunidade Económica Europeia e foi uma escola de educação cívica pluralista. Com o advento da democracia depois do 25 de abril de 1974, muitos dos seus associados deram contributos à vida social e política para o progresso do país em diferentes partidos políticos. O seu Grupo de Trabalho de Capital Humano (GTCH) tem como coordenador Carlos Sezões, ‘partner’ em Portugal da consultora Stanton Chase International (SCI).

 

 


<< Retroceder

17/12/12


  ANOS ANTERIORES- 2010 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO- SET - OUT - NOV - DEZ - 2011 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT - NOV - DEZ - 2012 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT - NOV - DEZ - 2013 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL - AGO - SET - OUT -NOV - DEZ - 2014 - JAN - FEV - MAR - ABR - MAI - JUN - JUL  
 
  Just Media 2008 - Todos os direitos reservados à empresa
webdesign: Design e forma