Nuno Goulart Brandão
«O sucesso das organizações está ligado ao desempenho e às vivências geradas pela comunicação.»

A Escola de Pós-Graduação e Formação Avançada da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa anunciou a criação do curso «Comunicação e Psicologia Positiva: Contributos para o Bem-estar nas Organizações». A iniciar em outubro próximo, trata-se de uma pós-graduação que tem um carácter transversal, em termos sociais, organizacionais e profissionais. Oportunidade para uma conversa com o coordenador científico da iniciativa, Nuno Goulart Brandão.

Texto: Redação «human»

 

Como surgiu esta pós-graduação e quais são os seus principais objetivos?

Surgiu de um projeto interdisciplinar entre docentes da área das ciências da comunicação e da psicologia da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa. Pensou-se que seria interessante juntar os contributos da comunicação e da psicologia numa pós-graduação que ajudasse os profissionais a intervir ao nível do bem-estar nas organizações. Tem como principal objetivo promover os níveis de bem-estar organizacional, sensibilizando os alunos para os contributos do comportamento organizacional positivo.

No mundo atual das organizações, que papel tem a comunicação?

Tem um papel determinante, funcionando como um facilitador da gestão de relacionamentos com os seus stakeholders. Internamente, quando assumida de modo estratégico, permite em primeira instância a partilha de conhecimento, o que é altamente relevante para se conseguir um verdadeiro alinhamento dos colaboradores com os valores, o posicionamento e, acima de tudo, com os propósitos da organização. Uma organização que valoriza a comunicação, antecipa necessidades e expectativas e potencia a criatividade, a motivação e, consequentemente, a satisfação dos seus colaboradores com vista à excelência organizacional. Ao nível externo, uma organização que comunica, gera perceções positivas de transparência, ética e confiança. A comunicação externa é por isso fundamental para a organização construir e solidificar a sua imagem e melhorar a sua reputação.

Que contributos pode dar aqui a psicologia positiva?

Nas últimas décadas parece haver cada vez mais evidências, quer ao nível da investigação, quer ao nível da prática, da necessidade de uma gestão das organizações com base nos princípios da psicologia organizacional positiva. A psicologia positiva tem uma inspiração profundamente humanista, que acredita no potencial do ser humano. Todas as pessoas têm um potencial positivo que pode ser desenvolvido ou inibido consoante o modo de gestão das organizações. Será enfatizada a importância dos sentimentos de autonomia, do crescimento pessoal, da autoaceitação, do propósito na vida, da mestria ambiental e dos relacionamentos positivos. Ajudar as pessoas no sentido do desenvolvimento pessoal, fazendo emergir as suas virtudes nas organizações, é o principal contributo desta pós-graduação.

Que impactos tem vindo a ter a transformação digital? Pode dizer-se que também a comunicação está a sofrer uma enorme transformação nas organizações?

A transformação digital é hoje uma realidade no mundo organizacional. Exemplo claro disso é a aposta que inúmeras empresas têm feito na adoção de diferentes plataformas internas de comunicação como a televisão corporativa ou a intranet, que permitem o diálogo e a partilha de conhecimento e informação, em tempo real. A transformação digital potencia verdadeiramente a comunicação interna, permitindo o envolvimento de todos os colaboradores, fortalecendo o sentimento de pertença e criando uma cultura organizacional forte.  Neste sentido, a comunicação nas organizações assume, cada vez mais, um perfil de comunicação estratégica, o que visa o desenvolvimento de compromissos mútuos, bem como de comportamentos éticos em novos ambientes positivos de trabalho com significado.

Potenciar a comunicação pode contribuir significativamente para o sucesso de uma organização?

O sucesso das organizações do século XXI está intimamente ligado ao desempenho e às vivências geradas pela comunicação. É fundamental a partilha de conhecimento sobre a realidade, os propósitos e os projetos presentes e futuros da organização para que todos se sintam parte integrante e percebam a relevância do seu papel individual. Só deste modo é possível a geração de compromissos mútuos entre as pessoas e a organização, com maiores níveis de criatividade, inovação e atitude intra-empreendedora, com vista ao sucesso da pessoa e do coletivo dentro da organização.

O que podem esperar os profissionais que frequentarem a pós-graduação, sobretudo em termos do seu desempenho nas respetivas organizações?

Um profissional com estas duas valências formativas (comunicação e psicologia positiva) será capaz de desenvolver estratégias que visem o bem-estar organizacional, combinando o alcance de objetivos profissionais com a gestão da motivação pessoal. Aliar a psicologia positiva à comunicação nas organizações permite que se consiga potenciar uma efetiva gestão de pessoas com maiores níveis de compromisso, satisfação e motivação, reforçando o trabalho com significado junto dos colaboradores. Será dada uma ênfase especial ao ser humano no sentido de desenvolver um maior autoconhecimento, que será fundamental para problematizar as temáticas discutidas nas unidades curriculares e encontrar formas de potenciar a realização pessoal dos membros da organização ao mesmo tempo que se potencia o bem-estar coletivo.

 

 

»»» Nuno Goulart Brandão é coordenador científico do curso «Comunicação e Psicologia Positiva: Contributos para o Bem-estar nas Organizações», da Escola de Pós-Graduação e Formação Avançada da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa.

 

Mais informações sobre o curso aqui.

Centro de preferências de privacidade

Necessários

PHPSESSID, __gads, _ga, _gid, gdpr[allowed_cookies], gdpr[consent_types]

Anúncios

IDE

Analytics

Other