EF com escola de português em Lisboa e a recrutar

A EF Education First vai abrir a sua primeira escola de português, em Lisboa. Pela primeira vez, a multinacional sueca de ensino de línguas vai disponibilizar ao mundo o ensino do português, com a abertura de portas já agendada para o início de novembro.

O Palacete Castilho, no coração do Príncipe Real, foi o edifício escolhido para acolher as instalações da escola, que terá uma lotação inicial para 200 alunos. Porém, a escola está preparada para se expandir e receber até 350 estudantes nos próximos dois a três anos.

A empresa, que conta com mais de 45 mil colaboradores em todo o mundo, já tinha representação em Portugal, com escritórios em Lisboa e no Porto, cujo objetivo tem sido acompanhar os estudantes portugueses que se aventuram na aprendizagem de uma língua num país estrangeiro. Agora, procura também atrair jovens estudantes para a capital portuguesa, e para isso está a recrutar para a nova escola professores de português, diretores de estudos, responsáveis de alojamento, responsáveis de atividades e comerciais.

As candidaturas poderão ser realizadas na secção «Carreiras» do site da EF, aqui.

Miguel Gama, diretor da EF School Lisboa, assinalou: «A opção de abrir uma escola para o ensino do português foi quase óbvia. O português é o sexto idioma mais falado em todo o mundo e a terceira língua europeia mais falada. Ao todo, somos 279 milhões de falantes nativos, sendo que um milhão reside nos Estados Unidos. A acrescentar a estes números, a aprendizagem do português ajuda os alunos a aprender outras línguas latinas.»

Com um olho em Portugal e outro no Brasil, a multinacional percebeu a excelente imagem que Lisboa tem transmitido nos últimos anos. «É uma cidade que já conquistou o mundo», explica Miguel Gama, acrescentando: «O seu clima, a hospitalidade e a comida são neste momento referências mundiais. Além disso, a partir de Lisboa há voos diretos para 120 destinos, sendo que o aeroporto está a 20 minutos das instalações da nossa escola.»

Imergir os alunos na cultura do país, ajudando-os e incentivando-os a falar a língua todos os dias, em contexto real e quotidiano, é o objetivo da EF e a razão pela qual a empresa irá abrir a escola em Portugal. O responsável refere ainda: «Não vale a pena ensinar português em Londres se no dia-a-dia os alunos teriam que falar o inglês. Queremos que os alunos estrangeiros venham a Portugal, aprendam a língua, conheçam as tradições e a cultura. Só assim é possível realmente aprender um idioma.»

A EF tem atualmente 50 escolas internacionais de línguas em todo o mundo para o ensino de nove línguas, e tem escritórios em 53 países. O português será o décimo idioma oferecido pela empresa que nasceu há mais de 50 anos na Suécia.

 

Aluno português em Nova Iorque

Enquanto não chegam os primeiros alunos a Portugal, a EF vai levar a 12 de agosto o aluno Luís Tripa até Nova Iorque, onde irá assistir ao «Fórum Internacional de Liderança Jovem». O jovem lisboeta foi o vencedor nacional do desafio mundial «EF Challenge», de entre mais de 2.000 participações em solo português.

O aluno do décimo segundo ano da Escola Secundária António Damásio, em Lisboa, concorreu com um vídeo em que dissertou sobre o significado do desenvolvimento sustentável. Com o vídeo que o próprio editou e publicou no «YouTube», convenceu o júri de que era a pessoa indicada para representar o país no evento nova-iorquino. «Houve um dia que estávamos na aula de inglês e a professora falou-nos desta possibilidade de ir a Nova Iorque discursar sobre um tema que para mim é muito importante», partilhou Luís Tripo, explicando: «Como já tirei um curso de inglês e estou à vontade com a língua, decidi participar, mas sem grandes esperanças de ganhar.»

Luís Tripa ainda não sabe bem o que esperar dos oito dias que vai passar em Nova Iorque no «Fórum Internacional de Liderança Jovem». Porém, quer «conhecer pessoas de outros países, fazer passar a sua mensagem e ouvir o que têm a dizer.»

Neste concurso promovido pela EF saíram ainda mais duas vencedoras. A professora de inglês da Escola Secundária António Damásio, Isabel Aldeia – que irá viajar até Cambridge –, e a estudante Rita Costa, da Escola Secundária Filipa de Vilhena, no Porto, que foi conhecer Oxford, em Inglaterra.

O «Fórum Internacional de Liderança Jovem» é realizado anualmente pela EF e junta jovens de todo o mundo para debater problemáticas globais e promover o intercâmbio cultural entre os participantes.

Centro de preferências de privacidade

Necessários

PHPSESSID, __gads, _ga, _gid, gdpr[allowed_cookies], gdpr[consent_types]

Anúncios

IDE

Analytics

Other