Edição de 2018 da «Expo’RH»

«Experience is the Way» é o tema da edição de 2018 da «Expo’RH», evento histórico em Portugal da IFE – International Faculty for Executives que este ano decorre nos dias 14 e 15 de março.

O Centro de Congressos do Estoril, próximo de Lisboa, será uma vez mais o palco para a discussão e o debate de estratégias, políticas e temas vitais que tocam o quotidiano dos profissionais que gerem recursos humanos.

A organização coloco algumas questões como temas de foto:

– Com os colaboradores a serem os novos clientes, que tipo de experiência estão as organizações e os seus departamentos de recursos humanos a oferecer-lhes?

– Quais os seus desafios?

– Quais as suas oportunidades?

– Estarão as empresas preparadas?

Já em relação ao programa, o destaque vai para o seguinte:

Training jump (a forma de desenvolver competências e de aprender estão em transformação; sei o que os meus colaboradores querem?; e o que a minha organização precisa?);

– Partilhar a bucket list (o que mais quero, o meu sonho, o que tornaria «incrível» a minha experiência?; as minhas respostas são a minha bucket list);

– Código genético da organização (cada organização desenvolve o seu próprio código genético, e é isso que lhe permite sobreviver, desaparecer ou evoluir e diferenciar-se);

Genius clubs (atrair, recrutar e reter os melhores talentos é essencial para garantir equipas de elevado desempenho e compromisso);

– Comunicação: a chave da transformação (ouvir os colaboradores é descobrir o caminho único da minha organização);

Connected brains: a neurociência explica (tudo o que sabemos está relacionado com o modo como o nosso cérebro conecta os neurónios; como desenvolvemos o nosso pensamento, resolvemos problemas ou tomamos decisões);

– Liderança (numa organização a principal ferramenta do líder é ele mesmo… a sua atitude, os gestos, a voz, a relação individual que constrói com cada pessoa e aquela que constrói com a equipa; trata-se de um caminho ao longo do qual o maior desafio é manter a sua autenticidade);

Design workplace (o espaço em que trabalhamos é a âncora de como trabalhamos; as pessoas desejam um local de trabalho que traduza inovação e agilidade, que fomente um ambiente produtivo, dinâmico, inspirador e flexível);

– Um fato à medida (as organizações ganham cada vez mais consciência do foco nas pessoas e assumem como valor a preocupação individualizada com seus colaboradores; os benefícios e a remuneração são um dos elementos diferenciadores);

Tech/ inteligência artificial/ robótica (um relatório indica que até 2030 cerca de 800 milhões de trabalhadores em todo o mundo poderão ser substituídos no trabalho por robôs; fonte: McKinsey&Company).

Mais informações aqui.